Nome da
Editorial

Edição 51 - Ano XI - Julho/Setembro 2015 - ISSN 1809-2888
Em clima de comemorações!
01/09/2015

A Edição 51 de Ciberteologia dá prosseguimento, neste ano, às comemorações do 10º aniversário deste periódico científico. Totalmente on-line, à época de seu lançamento, esta revista de teologia e cultura foi inovadora, pois, apresentava uma proposta editorial arrojada na área da pesquisa de estudos religiosos, principalmente de teologia cristã. Este ano de 2015 encontra a revista numa fase madura, senhora de um patrimônio de mais de 2 milhões de acesso, com uma média de 40 mil acessos por edição. Além disso, ela já está, há 3 anos, indexada na ATLAS e no LATINDEX, 2 dos principais indexadores dessa área de saber.

Como já dissemos no número anterior, as comemorações de uma revista são feitas basicamente por meio de textos publicados. E se assim é, aqui estão os Artigos, Notas e Resenhas desta edição.

O primeiro trabalho da seção de Artigos é O exercício das religiosidades ucranianas em Curitiba, de Paulo Augusto Tamanini. Em seguida, de Fábio L. Stern, A ressignificação de Eurínome pelo Neopaganismo: de deusa secundária à criadora do universo. Welder Lancieri Marchini vem a seguir, com seu estudo de um conto de João Guimarães Rosa, o qual intitulou como: Quando a ausência amedronta: Um paralelo entre o “Evangelho de Marcos” e “A terceira margem do rio”. Fé correta, fé certa: a distinção da fé cristã desde as faculdades da vontade e do intelecto é a reflexão filosófica com que nos brinda Jacir Silvio Sanson Junior. E, finalmente, Gilson Xavier de Azevedo fecha a seção com um trabalho com o seguinte título provocativo: O sagrado em Karl Marx é social ou teológico?

A seção de Notas é aberta pelo trabalho de Danilo Mendes, aliás bastante atual e oportuno, “Deixem vir a mim as crianças” – uma resposta bíblica à redução da maioridade penal. Sandra Aparecida Gurgel Vergne vem a seguir, apresentando-nos uma obra bastante original, que remete às tradições religiosas afro: Ogundana, o Alabê de Jerusalém, de Altayr Veloso. Religião, sagrado e poder: considerações conceituais em Geertz, Terrin e Deleuze é o trabalho em que Cristiano Santos Araujo analisa, pela epistemologia da antropologia, a religião e o sagrado como dobras de poder. Por fim, examinando as perspectivas do mundo contemporâneo, Márcio Oliveira Elias nos ajuda a refletir sobre O diálogo entre fé e cultura.

A seção de Resenhas traz as apreciações críticas de Robson Stigar e Vanessa Ruthes acerca do mais recente livro de Clodovis Boff, O Livro do Sentido: crise e busca de sentido hoje. Parte crítico-analítica (v. 1. São Paulo: Paulus, 2014); uma recensão de Gilson Xavier de Azevedo sobre Aprender Antropologia, de François Laplantine (São Paulo: Editora Brasiliense, 2007); e a recensão de Ângelo Vieira da Silva da obra de Hermisten Maia Pereira COSTA, Eu Creio no Pai, no Filho e no Espírito Santo (São Paulo: Parakletos, 2002).

Isto posto, olhos às obras e ótimas leituras, pois nossas comemorações seguirão adiante.

Dr. Afonso M. Ligorio Soares (Editor)

  • Artigos
    01/09/2015

    O artigo objetivou investigar os caminhos pelos quais o mito moderno de Eurínome surgiu no neopaganismo, onde assumiu a função de deusa criadora. Para tanto, recorreu-se a um levantamento bibliográfico tanto em textos do neopaganismo quanto nas passagens sobre essa deusa nos textos históricos da mitologia grega, comparando-os e traçando possíveis confluências.

    01/09/2015

    Quando pensado em associação com a vontade e o intelecto, o significado de fé alcança um sentido bastante estrito, de sorte que a precisão se torna uma característica fundamental na formulação cristã. A fé é correta porque contém conteúdos verdadeiros (a Revelação). Em vista disso, seu traço de “cristã” impele que lhe seja imprescindível a exatidão, a fim de que a fé, além de correta, seja também uma fé certa: quando somente os conteúdos da fé são objeto de fé enquanto fé.

    01/09/2015

    Este artigo versa sobre as práticas religiosas das comunidades ucranianas Católicas e Ortodoxas presentes em Curitiba (PR) com o intuito de verificar como o lugar e a conveniência de se estar em um espaço de constante mudanças puderam influenciar a composição ou a readequação dos ritos religiosos. De igual modo verifica como a memória interveio na difícil aceitação por parte dos mais velhos dessas novas maneiras de rezar.

    01/09/2015

    O artigo discute pontos principais da teoria marxista e os compatibiliza com sua perspectiva teológica, a fim de compreender melhor sua visão do marxismo. O problema central é se Marx consegue fornecer à teologia um posicionamento libertador ou apenas uma crítica baseada no catolicismo de sua época.

    01/09/2015

    Diante da ausência, o ser humano busca significado para a situação vivida. Na tentativa de encontrar sentido para a vida humana surgem tanto os textos religiosos como os textos literários. Esta pesquisa busca fazer um breve estudo comparado entre a ausência de Jesus no túmulo descrita no evangelho de Marcos (16,1-7) e a ausência do pai no conto “A terceira margem do rio” de Guimarães Rosa.

  • Resenha
    01/09/2015

    Resenha sobre: LAPLANTINE, François. "Aprender Antropologia". Trad. Marie-Agnés chauvel. São Paulo: Editora Brasiliense, 2007.

    01/09/2015

    Resenha sobre: BOFF, Clodovis. "O Livro do Sentido: crise e busca de sentido hoje" (parte crítico-analítica); v. 1. São Paulo: Paulus, 2014.

  • Notas
    01/09/2015

    O presente artigo examina as perspectivas do mundo contemporâneo que habitamos, observando as reações ao diálogo entre fé e cultura na modernidade, e verificando a vivência contraditória do estranhamento e da familiaridade nas relações com as coisas, com as pessoas e o seu acontecimento plural da história.

    01/09/2015

    O presente texto visa uma análise da obra de Altay Veloso, o livro Ogundana, O Alabê de Jerusalém. Este livro apresenta a história de Ogundana, passada há dois mil anos atrás. A história conta sua saga existencial, através dos diversos territórios de África, até chegar a Israel durante a ocupação Romano. Ali conhece Judite, que se tornaria o grande amor de sua vida. Através deste encontro também é apresentado a Jesus Cristo.

    01/09/2015

    As recentes discussões sobre a redução da maioridade penal no Brasil levam grande parte dos cristãos a procurar respostas bíblicas e, especificamente, evangélicas à questão. O artigo faz-se necessário à medida que lança luz sobre o relacionamento de Jesus com as crianças e propõe uma leitura de Mc 10, 13-16 tentando entender e comparar as crianças no ambiente bíblico, principalmente pela ótica de Jesus.