EDITORIAL

Esta é a 25ª edição de Ciberteologia. De novo visual, mas mantendo seus propósitos iniciais, continuamos oferecendo a nossos ciberleitores uma combinação bem dosada de textos inéditos de teologia, filosofia e ciência da religião com trabalhos significativos da área que, embora já publicados anteriormente no formato livro, merecem ser colocados ao alcance de estudantes e pesquisadores interessados nos estudos de religião.

Neste número, contamos com os seguintes trabalhos, disponíveis em português e inglês. Na seção de Artigos, três textos inéditos. O primeiro, de Diego Irarrazaval, Cristianismo del pueblo y su Misión, examina criticamente a interpretação pastoral-teológica e fenomenológica da “piedade popular” (no Documento de Aparecida) e o paradigma de Missão impulsionado hoje pelos bispos católicos do continente. Novos caminhos da iniciação cristã é o trabalho de Antonio Francisco Lelo, que, à luz do Documento de Aparecida, visa a possível reestruturação da iniciação cristã, centrando sua atenção sobre a concepção unitária dos sacramentos; a recuperação do papel do adulto como protagonista e o estilo catecumenal. Jose María Mardones assina em O imaginário simbólico e a construção da transcendência uma reflexão que parte de um trabalho mais amplo, em que o autor se dedica a desvendar a vida que palpita no símbolo, investigando as ações simbólicas, o imaginário simbólico e a construção da transcendência, e o imaginário da esperança.

Na seção Comunicação, duas contribuições originais. O teólogo belga José Comblin ensaia algumas aproximações entre Cristianismo e Direito. O texto é uma previa da nova coleção a ser lançada pela Editora Paulinas, que irá propor um diálogo entre a Teologia e as várias áreas de saber da Universidade. A segunda nota vem de Luiz João Firmo, Movimentos religiosos e ideológicos: alienação e consciência humana. O autor enfoca a manipulação das denominações religiosas, com a presença das igrejas eletrônicas, vindas do exterior e financiadas principalmente pelos Estados Unidos da América do Norte. A coluna comunicação brinda-nos com o texto Da utopia à topia: dialogar para ‘fazer’ chão neste mundo! Nela Antonio Carlos Ribeiro oferece um comentário ao recente livro Diálogos noturnos em Jerusalém, fruto da entrevista concedida pelo Cardeal Carlo Maria Martini ao Pe. Georg Sporschill. Conforme Ribeiro, esse jesuíta se mostra um homem sereno, um pastor responsável e um teólogo honesto, virtudes que desenvolveu no exercício do poder teológicopastoral e conseguiu manter mesmo depois de emérito.

Além desses destaques, não deixe de acompanhar os textos que, ao longo do bimestre, alimentarão as seções Resenhas. Agora cabe a você dedicar-se à leitura e aos estudos.

Afonso Maria Ligório Soares - Editor

EDIÇÕES ANTERIORES