EDITORIAL

A edição 48 da Ciberteologia, última do ano, traz uma interessante seleção de trabalhos, que se embrenham no complexo tema das religiões a partir de distintos caminhos: da literatura à geografia, passando pela Bíblia e pela economia. Os autores são, na maioria, jovens pesquisadores a revelar, pelo aperitivo oferecido neste número, futuras contribuições de peso ao estudo das religiões entre nós.


Na seção de Artigos, Diego Klautau oferece-nos os primeiros resultados de sua pesquisa acerca de O estudo de J.R.R. Tolkien do poema “Sir Gawain and the Green Knight”. O artigo trata da tradução e do estudo realizados por Tolkien sobre o citado poema (séc. XIV-XV), que narra aventuras desse cavaleiro da Távola Redonda diante do desafio do cavaleiro verde, dos jogos da corte e das trapaças da magia. Segundo Tolkien, é possível encontrar aí uma discussão sobre a lei moral, de fundamento cristão patrístico e escolástico, frente os desafios do paganismo e da cultura cortesã.


Em O fim da religião e o último homem: uma crítica cristã à razão destranscendente, Anderson Clayton Pires faz uma aproximação filosófica ao fenômeno da desfuncionalização da religião com a abolição de sua escatologia. Sua credibilidade, como agência da moral e dos bons costumes teria se degenerado. Com a destranscendentalização da consciência (Jürgen Habermas), o mundo caminhou em direção à sua emancipação cognitiva dos a priori da razão transcendental (Immanuel Kant). O autor discorre sobre as consequências mais notáveis dessa mudança no espaço religioso-cultural no Ocidente.


Em Um Deus improvável: análise exegética de Gn 18.1-15, Silas Klein Cardoso analisa a citada perícope como reveladora da imagem de um Deus incomum, que não se submetia aos caprichos de uma religião oficial e de uma forma social bem estabelecida mas, pelo contrário, irrompia de forma heterodoxa no horizonte, se fazendo ver por uma mulher de idade, impossibilitada de ter filhos e por um homem cansado de sua vida. O autor esforça-se por compreender o texto em seu horizonte de sentido tentando aplicar seus conceitos ao presente.


A seção de Notas abre-se com o texto Jesus e as finanças modernas: notas sobre a parábola dos talentos, de Paulo Tiago Cardoso Campos, cujo objetivo é comentar a citada parábola à luz de conceitos centrais das finanças modernas. Já em A religião por um olhar freudiano, Tiago Augusto Franco de Vasconcelos Souza faz um exercício inicial de diálogo com o criador da psicanálise. Ele ressalta alguns dos principais postulados do autor dentro do tema, a começar pelo primeiro texto de Freud a respeito (1907), associando as neuroses obsessivas às práticas religiosas e passando por outros escritos nos quais o pai da psicanálise evoluiu seu pensamento na relação da religião com a psicologia. Fecha a seção o texto O Poder do Rito: um olhar sobre o rito enquanto “memória do mito” no cristianismo primitivo a partir do livro de Atos dos Apóstolos, de Rivanildo Segundo Guedes. Aí ele se propõe a abordar, de maneira panorâmica, o poder do rito no cristianismo primitivo, notadamente a partir do livro de Atos dos Apóstolos. Para tanto, utiliza algumas ferramentas da Ciência da Religião com destaque especial para a perspectiva fenomenológica, por meio da tríade: Rito-Mito-Etos. Pretende com isso apontar de que maneira o rito, enquanto memória do mito, influenciou o modus vivendi dos cristãos primitivos.


A edição contém também uma Resenha de Welder Lancieri sobre a obra de John F. Haught, Mistério e promessa: teologia da revelação (Paulus, 1998).

Dr. Afonso M. L. Soares - Editor científico

EDIÇÕES ANTERIORES